Fidelidade a Deus

Eu serei fiel com Deus e Ele será fiel para comigo

“...A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. (...) Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca. Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor...” (Lamentações de Jeremias 3:22 a 26)

Por mais anos que tenhamos na Presença de Deus, nunca é demais estudar acerca de Fidelidade.

O mundo vai cada vez pior, cheio de si mesmo, de técnicas, tácticas, esquemas, crises, problemas sociais e económicos. Mas Deus, que anda pela terra à busca dos que Lhe são fieis, está a desejar poder ajudar-nos e poder demonstrar o seu poder! (II Crónicas 16:9).

Agora... o que é fidelidade? Fidelidade, em primeiro lugar, é viver com integridade e em cumprimento a tudo quanto Deus nos pede, ou nos ensina, nos dá. É reconhecermos que não somos nada sem Deus, que precisamos d’Ele, que confiamos n’Ele. É assumir que estamos a crescer e a tornarmo-nos mais graúdos no caminhar com Cristo. Fidelidade não pode implicar sacrifícios. Ou somos fieis por amor, ou não vale a pena andarmos a enganarmo-nos! Fidelidade implica ser fiel até ao fim com o que pactuámos com Deus.

 

Fundados na Rocha

Jesus é o fundamento da nossa vida

“…E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela...” (Mateus 16:13 a 18)

A Bíblia é um livro de bons princípios de ensinamento – Leva-nos do conhecido ao desconhecido! Através de parábolas, histórias, exemplos, faz-nos vislumbrar o propósito da Palavra de Deus para nós, abrindo-nos os horizontes e simplificando a mente de Deus nos nossos corações. Nós somos o Templo do Espírito Santo e necessitamos de estar fundados/ firmes em Jesus e na verdade! E só aí seremos verdadeiramente livres! (João 8:32)

 “…Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito...” (Efésios 2:19 a 22)

Caminhando com Jesus

“…Então Faraó chamou Moisés e Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide servir ao Senhor, como tendes dito. Levai também convosco os vossos rebanhos e o vosso gado, como tendes dito; e ide, e abençoai-me também a mim. E os egípcios apertavam ao povo, e apressando-se por lançá-los da terra; porque diziam: Estamos todos mortos. (…) Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés, e pediram aos egípcios joias de prata, e joias de ouro, e vestidos. E o Senhor deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, de modo que estes lhe davam o que pedia; e despojaram aos egípcios…” (Êxodo 12:31 a 38)

A nossa caminhada com Cristo, caminhada espiritual e mudança física, é em tudo semelhante à caminhada do povo de Israel, desde o Egipto até Canaã. O povo sofria muito. Tinham voltado as costas a Deus, ficando à mercê dos inimigos, trabalhando como escravos dos egípcios, apesar de serem mais numerosos, mais fortes. Sabendo que estavam a viver ali, por intermédio de José, conforme o plano de Deus, visto que 430 anos antes tinha havido uma fome muito grande, o povo Israelita acomodou-se e acabaram escravos de um Egipto no auge da sua glória e poder, sendo uma superpotência na época em todos os aspetos. Mas após um tempo de costas voltadas contra Deus, o povo arrependeu-se, clamou por Ele, e em resposta, surgiu Moisés para os libertar, para os conduzir à Terra Prometida, levar de volta à terra que lhes pertencia por herança.